O serviço de excelência no setor da restauração será sempre a mais inovadora das ideias e o investimento mais rentável dos proprietários dos pontos de venda, dos pequenos negócios de bairro a cadeias de restaurantes, passando pelo mundo da alta cozinha e das Estrelas Michelin. “As equipas de sala desempenham um papel significativo no desenvolvimento do negócio. O empregado de mesa é um anfitrião: o restaurante é a sua casa e os clientes são os seus convidados! Há uma crescente valorização da profissão”, destaca o Chef José Avillez.

 

“UM BOM EMPREGADO DE MESA É TÃO IMPORTANTE COMO A QUALIDADE GASTRONÓMICA”

No restaurante Antiqvvm, no Porto, o Chef Vítor Matos desenvolve as artes da confeção e do atendimento ao cliente. “Um serviço de qualidade, com bons profissionais, a par de uma gastronomia distinta, são os ingredientes que definem realmente uma experiência diferenciadora”. É a postura e simpatia do empregado de mesa que muitas vezes desequilibra a balança e faz regressar os clientes ao mesmo restaurante. A mestria desta profissão exprime-se nos verbos sentir e entender: num tom exato, é preciso saber responder a perguntas várias, algumas difíceis, é essencial conhecer e explicar a oferta do restaurante, fazer os clientes sentirem-se em casa quando precisam, deixando-os à vontade quando necessário.

É essencial nesta profissão:

 
Atitude positiva: ser simpático, cordial, atencioso, ao mesmo tempo discreto, e ter gosto pelo que se faz.
Ter formação profissional, conhecer a profissão e o setor de atividade.

 

5 PERGUNTAS CADA VEZ MAIS FREQUENTES AOS EMPREGADOS DE MESA. PREPARE A SUA EQUIPA!

Posso comer este prato se sou alérgico (…)?

Coloque no menu informações sobre os alergénios de cada prato. O empregado deve dominar o tema para esclarecer o cliente com segurança e conseguir transmitir confiança. No início do serviço pode antecipar a questão e perguntar ao cliente se tem algum tipo de alergia.

 

Têm pratos sem glúten?

Uma pergunta cada vez mais atual. Responda com transparência se o seu restaurante está preparado para servir os pratos sem este alergénio: se confeciona os seus próprios pratos sem glúten ou se tem algum produto comprado que venha selado e seja servido com as normas necessárias para evitar a contaminação cruzada. Se não servir pratos sem glúten, pergunte ao cliente que produtos pode comer e sugira uma alternativa.

 

Qual a origem destes ingredientes?

Há uma tendência crescente do consumidor para uma alimentação saudável. Os clientes preocupam-se com a origem dos produtos que comem e valorizam os restaurantes que trabalham com fornecedores locais. Responda com naturalidade e seja preciso na informação sobre a origem dos ingredientes. Se não trabalhar com produtos locais, partilhe com o cliente a preocupação do restaurante na seleção rigorosa da qualidade dos seus produtos.

 

Como se confeciona este prato?

A equipa de sala deve conhecer em detalhe a preparação dos pratos, o modo de confeção, a forma como são servidos, a influência e os benefícios das diferentes fases do processo no sabor e qualidade do produto final.

 

Pode embalar para levarmos o que sobrou?

É daquelas questões que se o cliente não colocar, o empregado de mesa deve sugerir. É uma das boas práticas que permite reduzir a pegada do desperdício alimentar.

 

[TheFork]

 

Em síntese, um empregado de mesa deve desenvolver em permanência a sua capacidade de comunicação e interação com o cliente, de forma a conhecer as suas preferências e oferecer um atendimento personalizado…que o faça voltar.